Prefeito de Várzea Grande sofre 3 investigações por dispensas de licitações

Várzea Grande continua enfrentando problemas sérios na administração do município, com falta de planejamento e eficácia na execução dos assuntos cotidianos, conforme podemos constatar na matéria publicada no site RD News -   Ainda no quinto mês de mandato, o prefeito de Várzea Grande Walace Guimarães (PMDB) já enfrenta problemas com o Ministério Público. A Promotoria de Defesa do Patrimônio Pública, sob a promotora Valnice Silva dos Santos, instaurou já três inquéritos para apurar possíveis irregularidades em contratos milionários celebrados pelo gestor com dispensa de licitação.

 Como está em fase de investigação, a promotora se evita falar sobre o assunto para não prejudicar o andamento dos trabalhos. O MP só confirma que um dos casos averiguados envolve o sistema de iluminação pública. Atualmente, a manutenção das luminárias da cidade é feita pela empresa Selprom Tecnologia LTDA-ME, contratada sem licitação no final do ano passado por aproximadamente R$ 500 mil.

  Desde então, o contrato já teve um aditivo elevando o valor inicial do contrato em 100%. A concessionária assumiu de forma emergencial porque o pregão que começou a ser realizado naquele ano, para a contratação dos serviços, foi barrado na Justiça por uma das participantes, a construtora Nhambiquaras.

  Nestes primeiros meses de mandato, Walace já realizou pelo menos 12 dispensas de licitação para fornecimento emergencial de combustível, medicamentos, merenda escolar para contratação de serviços de coleta de lixo e outros. O prefeito também não escapa de denúncias dando conta de suposto direcionamento e superfaturamento de licitação.

  •   Outro lado
  O procurador-geral de Várzea Grande José do Patrocínio e o secretário de Governo, Ismael Alves, alegaram desconhecer a existência dos inquéritos contra o prefeito Walace. Ponderam, entretanto, que qualquer problema relacionado à contratação da Selprom diz respeito à gestão passada. “Esta gestão apenas deu prosseguimento ao contrato”, informou Ismael.

  Patrocínio e Ismael também disseram estar repassando todas as informações solicitadas pelo órgão fiscalizador. Quanto às dispensas de licitação para combustível, merenda e outros, asseguram que a própria lei de licitações nº 8666/93 autoriza o procedimento visando manter os serviços essenciais e o funcionamento da máquina administrativa.

Esposa do Radialista Edivaldo Ribeiro morre de câncer


Morreu na manhã desta quinta-feira (16), em decorrência de um câncer, a esposa do jornalista e radialista Edivaldo Ribeiro, que atualmente apresenta o Programa Tribuna CBN, ao lado do também jornalista Dirceu Carlino.

Ela estava internada, em tratamento, em um hospital da Capital, mas não resistiu aos problemas em decorrência da doença. O problema foi diagnosticado há pelo menos 6 meses.

Danuza escreveu, entre várias obras, o livro infantil Dona Treleleca, que narra a história da neta dela, que quando pequena não conseguia pronunciar o fonema TR.

O corpo será velado a partir do meio-dia desta quinta, na Capela Jardins, Sala das Orquídeas. Depois, seguirá para Brasília (DF), onde será cremada.  
 Edivaldo tem ligação forte com Várzea Grande, onde ainda mora sua mãe e familiares. Na área de esporte, atual como presidente do Operário, o Chicote da Fronteira, o CEOV

Fonte: Gazeta Digital

Alfredo da Mota Menezes: Unemat em Várzea Grande


Foi aprovado pela Assembleia Legislativa que a Unemat ou universidade estadual terá direito a 2% da receita líquida do estado. Esse número ainda deve crescer até 2018 e, no final, ela terá 2.5% daquela receita.

E não pode haver nem contingenciamento do recurso da universidade. É a independência financeira da Unemat. Não existem mais desculpas para não trazer essa universidade estadual para o Vale do Rio Cuiabá.

Ela está em todo o estado e não tem nem um tamborete no lugar onde pontuam Cuiabá e V. Grande. É aqui que se tem a maior fatia do ICMS, base maior da arrecadação do estado. Além disso, pensando no lado
eleitoral, esta região é a que tem o maior número de eleitores.

É incompreensível não ter essa universidade neste pedaço do estado. Não cabem mais escusas como aquela do receio de Cáceres perder o reitorado da universidade. Uma sugestão? Por que não se faz um decreto de que a direção não sairá dali?

Outra desculpa era que a Unemat não iria onde se tivesse a UFMT. Em Sinop tem UFMT e Unemat.

Por que não levá-la para Várzea Grande? Ali é um lugar de gente pobre e só tem universidades particulares. O prefeito da cidade é do PMDB, o governador também. Quem fizer essa mexida será reconhecido eternamente pela população dali num lugar que, para criar mais apetite na classe política, se tem o segundo eleitorado do estado.

Foi no governo Jaime Campos que se criou a Unemat. Se o atual governador a levar para V. Grande, vai ficar melhor na foto ali do que o Jaime que a criou e não a levou para aquela localidade.

E, pensando ainda em voto, combustível que empurra a classe política, se diz que o Silval vai fazer outras obras em V. Grande como trincheira, VLT, estádio e até uma rodoviária. Se levar a Unemat fecharia o ciclo favorável em termos de votos futuros.

A parte tecnológica da UFMT vai para V. Grande, bem como a nova escola técnica federal. Parece que já se tem uma área para isso.

Por que não levar a Unemat para este mesmo local?

Ou, antes disso, por que não começar com poucos cursos sem aquela infraestrutura? Será que o dinheiro novo não daria para alugar um espaço enquanto não se constrói algo maior e definitivo?

Fala-se ainda que em Várzea Grande será a sede do Parque Tecnológico. Todos que existem no Brasil estão ligados a uma universidade. É dali que saem pesquisas novas que municiam esses parques. Por que, mais uma vez, não acoplar o Parque e a Unemat?

Alguém poderia explicar quais os motivos que impedem a vinda desta universidade estadual para esta região? Onde é que é que estáenterrada essa cabeça de burro que impede o governo dá um passo tão
óbvio?

Por Alfredo da Mota Menezes - e-mail: pox@terra.com.br

Fim do Bairro 13 de Setembro em Várzea Grande

Moradores do 13 de Setembro, situado do outro lado da rodovia dos Imigrantes, em Várzea Grande, exigiram e conseguiram, com respaldo da Câmara Municipal, mudar o nome do bairro para Novo Mato Grosso. Curiosamente, o então prefeito Jayme Campos, hoje senador, com o poder da caneta que exercia na época, transformou a data do seu próprio aniversário (13 de setembro) em nome do bairro. Isso aconteceu em 1992.

O agora Novo Mato Grosso reune cerca de 3 mil habitantes, que clamam por infraestrutura. Trata-se de um bairro carente. Uma emenda de R$ 5,7 milhões do deputado Eliene prevê asfaltamento de algumas ruas. Assim como o Brasil comemorou o 7 de Setembro, a mudança de nome representa o 1º passo para a liberdade dos moradores, que caminharam até agora à esteira dos Campos. Já estão recebendo título das casas. Fonte: RD News

Obras do IFMT de Várzea Grande deve iniciar em 60 dias

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso em Várzea Grande MT


Várzea Grande completa 147 anos de fundação neste dia 15 de maio. No aniversário da Cidade Industrial recebe um presente muito especial, esperado a muito tempo pelos estudantes e a sociedade organizada. Trata-se do início da construção do IFMT, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso. O anúcio foi feito pelo reitor José bispo Barbosa, que afirmou. “Nesta semana será realizada a licitação e em 60 dias começam as obras do campi. Serão entre 12 e 13 meses para a entrega prevista para 2014”

Várzea Grande é a segunda maior cidade de Mato Grosso, com quase 300 mil habitantes e ainda não possui nenhuma universidade pública. Com o anúncio do IFMT e também a confiramção da UFMT, Universidade Federal de Mato Grosso, que também construirá seu campus no município.

O sonho não termina com os campus dessas duas universidades públicas na cidade, estudiosos, pensadores, formadores de opinião e muito especialmente os estudantes de Várzea Grande, reivindicam a instalação da UNEMAT - Univercidade Estadual de Mato Grosso. Já não há nenhuma desculpa que possa ser levada a sério pela falta de um campus da Universidade Estadual na região metropolitana da Grande Cuiabá cujo número de habitantes aproxima a 1 milhão.

Voltando ao IFMT, a unidade ofertará entre cinco e seis cursos que serão definidos com pesquisa de mercado para identificar as maiores demandas de profissionais na cidade e por audiência pública para que a população participe da escolha. Além de Várzea Grande, Primavera do leste, Alta Floresta, Tangará da Serra, Diamantino e Lucas do Rio Verde também serão contempladas até 2015.

Com um orçamento de R$ 250 milhões por ano, a instituição está em pleno processo de expansão. Os 11 campus do Estado vão chegar a 17 nos próximos dois anos. Só em 2013 são R$ 60 milhões destinados a investimentos. Ao todo, o IFMT oferta 6 mil vagas todo ano e 168 cursos presenciais nos mais diversos níveis. São cursos técnicos, técnicos integrados ao ensino médio, técnicos integrados ao ensino fundamental, cursos voltados a jovens e adultos, superiores, especializações e até mestrado.

 Além disso, ainda há os cursos de Ensino à Distância (EAD) que contemplam nove cidades-pólo mato-grossenses e um município em Minas Gerais (Coromandel). Nesta modalidade são dois cursos ministrados, Licenciatura em Química e Redes de Computadores. Podem acessar a formação EAD as pessoas que moram na região de Barra do Bugres, Cuiabá, Guarantã do Norte, Juara, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Primavera do Leste, Ribeirão Cascalheira e São Felix do Araguaia.

   O IFMT conta com 1,3 mil servidores entre docentes e corpo técnico. Além dos 11 campus existentes, ainda há quatro núcleos avançados no Estado. Um em Campo Verde que é administrado pelo campus de São Vicente, outro em Jaciara ligado ao campos de São Vicente, em Poconé (campus Cáceres) e por fim em Sapezal (campus Campo Novo do Parecis). Com participação do RD News

Inscrições para o Enem 2013 começa dia 13 de Maio

 Inscrições para o Enem 2013 começa na segunda-feira, 13 de maio e vai até dia 27.

Estudantes de Várzea Grande MT, fique atento, as inscrições para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) começam na segunda-feira, 13 e vão até 27 de maio. O MEC (Ministério da Educação) espera que pelo menos 6 milhões de estudantes em todo Brasil façam a prova neste ano.

As inscrições para o Enem 2013 não 100% gratuito, será cobrado taxa de inscrição --de R$ 35-- deve ser paga até o dia 29 deste mês. Porém a isenção foi ampliada para alunos cujo grupo familiar tem uma renda per capita de até 1,5 salário mínimo. Estudantes no último ano do ensino médio em escolas públicas também terão direito ao benefício.

O edital do Enem, publicado na última quinta-feira 9 de maio no "Diário Oficial da União", confirmou o aumento no rigor da correção das provas.

O Ministério da Educação anunciou que este ano serão anuladas redações que fugirem do tema ou contenham desenhos e textos desconexos com o assunto proposto. Também haverá restrição na aceitação de erros gramaticais.

Deboches em redações no Enem em 2012 suscitaram discussões no Inep (órgão ligado ao MEC responsável pelo Enem) sobre mudanças nas correções. Um dos participantes incluiu uma receita de miojo em um parágrafo, e outro inseriu um trecho do hino do Palmeiras.

A partir deste ano, a diferença entre as notas dadas por dois corretores não pode ultrapassar cem pontos - em 2012, o limite era 200. Caso haja essa discrepância, o texto será lido por um terceiro corretor, que deve receber uma de cada três redações, segundo a expectativa do presidente do Inep, Luiz Cláudio Costa.

 Data das provas do Enem 2013
O Enem será realizado nos dias 26 e 27 de outubro em 1.632 cidades brasileiras. No primeiro dia, os candidatos respondem questões de ciências humanas e ciências da natureza. No segundo, serão aplicadas as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, redação e matemática. Com participação da Folha

Vereadores de Cuiabá gastam os R$ 25 mil de verba indenizatória sem comprovação

 Câmara Municipal de Cuiabá

Os 25 vereadores por Cuiabá têm utilizado em sua totalidade os R$ 25 mil mensais de verba indenizatória, conforme consta no site do Tribunal de Contas do Estado (TCE). Apesar de não detalhar os gastos, os números mostram que nos três primeiros meses deste ano foram pagos aos parlamentares R$ 58,7 mil de benefício, sendo o valor liquidado R$ 63,7 mil.

   Os vereadores da legislatura 2013/2016 recebem R$ 15 mil de salário, mais R$ 25 mil de verba indenizatória, além da verba de gabinete no valor de R$ 17 mil, totalizando R$ 57 mil. A verba vinculada ao gabinete da Presidência, recebida somente por João Emanuel, chega a R$ 25 mil.

  A Câmara de Cuiabá segue na contramão de outros órgãos públicos estaduais e federais, que prestam conta com, por exemplo, notas fiscais. O presidente do Legislativo, vereador João Emanuel (PSD), explica que o TCE faz uma vistoria in loco a cada trimestre. Em janeiro, foram pagos R$ 15 mil de verba indenizatória; em fevereiro, R$ 23,7 mil e em março, R$ 25 mil.

  Contudo, os gastos não são especificados na página oficial do TCE. Outro ponto curioso é o fato dos valores serem exatamente iguais na prestação de contas individual dos parlamentares. Os dados não se alteram nem mesmo nos meses, como se os gastos mensais dos vereadores fossem idêntico. A primeira liquidação foi com a data de 31 de janeiro deste ano, a segunda em 27 de fevereiro e a última em 25 de março.

A reportagem entrou em contato com João Emanuel para saber o motivo dos valores não serem diferenciados, mas o presidente da Câmara informou que estava sem os documentos para analisar. Além disso, ficou de retornar as ligações, mas não retornou até a publicação desta reportagem.

  Em 2009, o ex-presidente da Câmara Deucimar Silva (PP) apresentou um projeto de resolução que obrigava os 19 parlamentares a disponibilizar gastos com a verba indenizatória, que à época era de R$ 9 mil, no novo site do Legislativo. Ele dizia que era preciso haver transparência com os gastos. Na atual legislatura, ainda não existe prestação de contas no site oficial, contrariando o que já acontece no Senado e Câmara Federal.  Fonte: RD News

Jogador Marquinhos do Mato Grosso Esporte Clube foi assassinado dentro de ônibus em Várzea Grande

Jogador de futebol Marquinhos é morto a tiros em ônibus na Região Metropolitana de Cuiabá

Marcos Antônio Rodrigues, mais conhecido como Marquinhos, foi seguido até um ponto por um suspeito após ter deixado uma casa noturna.

Testemunhas disseram que o criminoso entrou no coletivo, localizou a vítima e disparou contra ela. Nada foi roubado. O assassino está foragido. Marcos disputou a edição 2013 da primeira divisão do campeonato estadual de futebol pelo Mato Grosso Esporte Clube.

Marquinhos, jogador de 27 anos que disputou a edição 2013 da primeira divisão do campeonato estadual de futebol pelo Mato Grosso Esporte Clube foi assassinado com pelo menos três tiros dentro de um ônibus por volta das 05h deste sábado (11), em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá.

De acordo com a Polícia Militar, Marcos Antônio Rodrigues, mais conhecido como ‘Marquinhos’ foi seguido até um ponto de ônibus por um suspeito após ter deixado uma casa noturna localizada no bairro Cristo Rei. Testemunhas relataram à polícia que o suspeito entrou no ônibus coletivo, localizou a vítima e, antes de atirar, gritou: “Você perdeu”.

O tenente-coronel da PM, Victor Paulo Fortes, afirmou que o jogador não teve chance de se defender e morreu na hora. “O suspeito não levou nenhum pertence da vítima e foragiu do local. Passageiros que estavam no veículo serão ouvidos para tentarmos localizar o suspeito”, explicou o militar. Ainda segundo Fortes, o suspeito fugiu em um carro prata e, até o fechamento desta reportagem, nenhum suspeito foi localizado.

 Para a Polícia Militar, o crime tem características de execução. O corpo do jogador de futebol foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) para a realização de perícia. Ainda não há informações sobre o velório e o sepultamento do corpo de Marquinhos.

Amigos e profissionais do futebol de Mato Grosso ficaram surpresos com a morte do jogador. De acordo com o ex-técnico do Mato Grosso, Eduardo Henrique, o jogador era ‘reservado, tímido e de boa índole’.

“Nunca ninguém falou nada se ele tinha ou não inimigos”, afirmou o treinador.

Marquinhos atuava como atacante no Mato Grosso Esporte Clube desde 2008. Na edição 2013 do Mato-grossense de Futebol, ele jogou 10 partidas. Fonte: G1

13 Caminhões com resíduos de obras da Copa em Cuiabá são apreendidos fazendo descarte ilegal em Várzea Grande



Várzea Grande a segunda maior cidade de Mato Grosso ainda vive uma cultura provinciana, onde grande parte dos moradores desconhece o Plano Diretor da Cidade, e por desconhecimento ou pela certeza da impunidade teimam em agir ilegalmente.  Como o a Prefeitura da Cidade não tem uma ação efetiva de fiscalização, é comum empresas de Cuiabá descartar entulho, lixos e restos de construções em locais aparentemente fora do alcance da deficiente fiscalização da cidade industrial. Com a posse do vereador Pery Taborelli – popular coronel Taborelli (PV) as pessoas mais críticas começaram acioná-lo ao vereficar a prática de diversos crimes, e para supersa o parlamentar aciona todos os meios legais para que providências sejam tomadas. Agora já é voz corrente na cidade, qualquer coisa de errado, chama o vereador Taborelli, dentro de instantes ele chega, como no caso noticiado pelo VG Notícias na matéria abaixo.

O Consórcio responsável pelas obras da Arena Pantanal - estádio que receberá a Copa do Mundo de 2014 em Cuiabá -, foi flagrado na manhã desta sexta-feira (10.05), jogando resíduos de construção em área de Preservação Permanente (APP) em Várzea Grande. Os resíduos estavam sendo utilizados para aterrar uma APP localizada na estrada da Guarita, nas proximidades do córrego da onça, em uma construção irregular do empresário Sérgio Carlos Paiva.

O flagrante do crime foi feito pelo vereador várzea-grandense, Pery Taborelli – popular coronel Taborelli (PV), após receber denúncia dos moradores da região. O parlamentar acionou de imediato a Polícia Ambiental - que lavrou o flagrante e encaminhou o proprietário a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DEMA). Além do proprietário, foram apreendidos 12 caminhões caçambas, um caminhão de manutenção e três tratores de esteiras que jogavam os resíduos e espalhavam no local. Alguns caminhões possuíam adesivos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

Os caminhões que transportavam as terras e os resíduos estavam a serviço da empresa Escavasul, que alegou possuir contrato com a construtora Mendes Júnior. No entanto, a maioria dos caminhões e máquinas apreendidas era de motoristas autônomos. A empresa presta serviços para o consórcio” Santa Bárbara” que operava nas obras da Arena Pantanal e Mendes Júnior que assumiu recentemente as obras da Arena e é uma das empreiteiras das obras do VLT em Cuiabá e Várzea Grande.

Construção irregular - Em entrevista ao VG Notícias, o dono do terreno que foi beneficiado com os resíduos, Sérgio Paiva disse que tem licença ambiental da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (SEMA) para construir na área de preservação. No entanto, a licença concedida pela SEMA ao empresário é de  135 metros e o aterro já tinham avançado mais de 400 metros, conforme policias do meio ambiente constataram.

Sérgio ainda disse, que em um primeiro momento não tinha conhecimento de que Várzea Grande possuía uma Secretaria de Meio Ambiente, e por isso, procurou direto a Secretaria Estadual de Meio Ambiente, e que acreditava que bastava a autorização da Sema estadual para realizar a construção. Segundo ele, após tomar conhecimento, foi informado de que 40% dos servidores da Sema/VG têm o habito de pedir propina, e por esse motivo, não foi à Secretaria Ambiental do município solicitar autorização, o que justificaria a falta de documentação para construir no local.

No entanto, conforme ele, mesmo assim, houve liberação verbal dos secretários Celso Brandão – que na época comandava a Sema/VG, e João Bulhões – que comandava a Secretaria de Desenvolvimento Urbano, além de autorização verbal do ex-prefeito Sebastião dos Reis Gonçalves – Tião da Zaeli (PSD), com a ressalva de que ele deveria fazer um canal de escoamento para o córrego.

“Só tenho por escrito as autorizações da Sema do Estado, procurei a Sema do município que não me entregou nenhum documento, o que foi dito na época pelo secretário da gestão anterior, Celso Brandão, era que eu deveria apenas fazer um canal de escoamento para o córrego. Fizemos estas adequações no projeto, mas devido a demora da aprovação não poderia deixar de ganhar o aterro, porque tenho interesse de construir na área”.

O empresário alegou não saber quem mandou os consórcios jogar os resíduos na área. Ele afirmou só ter conhecimento que os consórcios são os responsáveis pelas obras da Arena Pantanal e que os resíduos vinham das obras.

“Eu não sei quem está mandando esses caminhões, sei que os resíduos são das obras do Verdão. Eles precisam desovar a área do estádio e o único terreno que tem disponível para receber é o meu. Eu não estou comprando, você acha que eu não vou receber o que está vindo de graça para mim?” disse o empresário.

Denúncia – Segundo fontes, para conseguir a liberação da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Sérgio Paiva pagou cerca de R$ 200 mil.

Reincidência - De acordo com coronel Taborelli, cerca de dois mil caminhões já tinham jogado resíduos na área. O vereador garantiu não admitir este tipo de crime no município. “Estarei sempre atuante para combater o crime ambiental em Várzea Grande, é inadmissível que isso vinha ocorrendo há vários anos no município e ninguém tomava uma providência” argumentou.

Educação de Várzea Grande entra em Greve dia 13 de maio






Greve nas Escolas Municipais de Várzea Grande - Os servidores da área de Educação de Várzea Grande voltam nesta segunda-feira (13.05) a cruzar os braços e decretar uma nova greve no município. A medida atingirá 22 mil alunos do município.


Cerca de dois mil professores da rede de ensino municipal de Várzea Grande, deflagram greve por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira (13.05).

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso, subsede Várzea Grande (Sintep/VG), Gilmar Soares, o movimento de greve já estava definido e inicia nesta segunda por tempo indeterminado.

A categoria está indignada pela forma como vem sendo tratada pela administração municipal, segundo eles, a atual gestão deixou de lado a classe e não está atendendo as reivindicações.

Vale lembrar que em abril, o prefeito Walace Guimarães (PMDB), encaminhou dois projetos de leis que visam atender interesse de três alas da educação, diretores de escolas, gerentes de Educação Infantil (CMEI) e dos coordenadores da rede municipal, no entanto, a matéria agraciou apenas uma “minoria” da categoria ocasionando uma “bagunça” generalizada no setor da educação.

Reivindicações da categoria - Um dos pontos principais das reivindicações dos servidores da educação é a revisão do Plano de Carreira e Revisão do Enquadramento dos servidores da Educação de 2010.

A categoria cobra ainda, a manutenção na infraestrutura das escolas, alimentação escolar, o pagamento do adicional noturno dos vigias previstos na legislação trabalhista e o subsídio mensal das servidoras gestantes e o piso salarial.  Fonte: VG Notícias

Folha de pagamento de Várzea Grande está superior a R$ 13 milhões


 Celso Barreto secretário de Administração de Várzea Grande

A Prefeitura de Várzea Grande está gastando R$ 13 milhões com a follha de pagamento, foi o que informou,  em entrevista ao site VG Notícias, o secretário de Administração da gestão do Prefeito Walace Guimarães, Celso Barreto.

“Hoje a folha de pagamento do município é bastante alta, ela está fechada em R$ 13 milhões. Praticamente, estamos apenas administrando folha de pagamento na administração, e isso não é o correto”, declarou o secretário ao dizer que a receita do município precisa aumentar.

A declaração do secretário “derruba” o discurso do prefeito Walace Guimarães, que no período da campanha eleitoral criticou duramente o ex-prefeito Sebastião dos Reis Gonçalves – o Tião da Zaeli (PSD), sobre a folha de pagamento que no período, também estava em R$ 13 milhões. O peemedebista declarou que precisava desinchar a máquina pública, para sobrar dinheiro para fazer investimentos na cidade.

No entanto, assim que assumiu a administração pública Walace contratou somente na primeira quinzena de abril, 95 pessoas em cargos comissionados. Somente na Secretaria Municipal de Infraestutura, 21 servidores foram contratados, na Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Educação foram contratadas 13 pessoas cada. Na Secretaria de Saúde foram cinco, na Procuradoria Geral do município foram sete nomeações, na Secretaria de Governo dez e na Secretaria de Administração, seis.

Foram contratados ainda, oito pessoas na Secretaria de Meio Ambiente, quatro na Secretaria de Esporte Lazer e Cultura, três na Secretaria de Comunicação Social, dois em Desenvolvimento Econômico e um na Secretaria de Receita.

No período de pouco mais de quatro meses, Walace aumentou a folha de pagamento de R$ 6,5 milhões para R$ 13 milhões, mais de 100%, deixando assim, de cumprir com uma de suas promessas de campanha que era não inchar a folha de pagamento. Além disso, ele ainda vem declarando que a prefeitura não tem dinheiro em caixa para fazer investimentos.

Outro ponto a destacar é que os vereadores de Várzea Grande vêm denunciando que existem vários servidores lotados em Secretarias municipais que não comparecem ao serviço, ou seja, funcionários fantasmas, o qual o prefeito garantiu que não iria permitir em sua gestão.

Operação “Laranja Lima” da PF apura fraudes na Previdência Social em Várzea Grande e outras Cidades


 Prédio da Previdência Social de Várzea Grande - MT.



Na manhã desta quinta-feira, 09 de maio, foi deflagrada a Operação “Laranja Lima” para apurar fraudes na concessão de benefícios previdenciários da espécie pensão por morte. Três municípios são alvos de investigação, são eles: Várzea Grande, Cuiabá e Alto Paraguai. A operação é comandada pela “Força Tarefa Previdenciária no Estado de Mato Grosso” - composta pela Polícia Federal, Ministério da Previdência Social e Ministério Público Federal.

Ao todo serão cumpridos 10 mandados judiciais expedidos pela 7ª Vara Federal em Cuiabá, e requeridos pela Polícia Federal, com manifestação favorável da Procuradoria da República. São cinco mandados de busca e apreensão e seis mandados de condução coercitiva.

As investigações tiveram início em outubro de 2012, após uma servidora do INSS protocolar denúncia acerca da ocorrência de irregularidades na concessão de benefícios de pensão por morte, concedidos pelo órgão (INSS).

De acordo com a Polícia Federal, “as diligências revelaram a atuação de uma quadrilha voltada para a obtenção fraudulenta de benefícios de pensão por morte por meio da apresentação de documentos falsos,  promovendo assim a prática dos crimes de estelionato, falsidade ideológica, falsificação de documento público e formação de quadrilha”.

Ainda, segundo a PF, dois dos indiciados já foram anteriormente processados sob a acusação de efetuarem saques fraudulentos de seguro-desemprego, sendo que um deles, inclusive, foi preso em flagrante delito no ano de 2012 ao tentar obter outra carteira de identidade falsa, todavia, sua prisão cautelar foi negada, mas convertida em condução coercitiva.

A Polícia Federal informou que em um levantamento preliminar foi apontado indícios de irregularidade em 08 benefícios, os quais causaram um prejuízo aos cofres público estimado em R$ 610 mil. No entanto, o cumprimento dos mandados de busca e apreensão espera-se encontrar documentos que apontem a existência de vários outros benefícios previdenciários fraudulentos, possibilitando o Ministério da Previdência dimensionar o real prejuízo causado pela quadrilha.

“Operação Laranja Lima” – A quadrilha utilizava o sobrenome “Lima” para criar pessoas fictícias e assim obter o beneficio junto ao INSS. Fonte: VG Notícias

Várzea Grande Shopping será inaugurado em início de 2015 e vai gerar mais de 3 mil empregos


Várzea Grande Shopping

As obras do primeiro shopping Center de Várzea Grande, localizado nas proximidades do Aeroporto Marechal Rondon, estão a todo vapor. A inauguração do empreendimento milionário está prevista para o início de 2015. As obras foram iniciadas em março de 2013 e seguem na fase de escavação do terreno.

Em coletiva a imprensa nesta quinta-feira (09.05), um dos empreendedores do Shopping, Marcos Reyneu, destacou que anualmente o shopping irá gerar receitas para Várzea Grande na ordem de R$ 2 à R$ 5 milhões – em arrecadação de tributos. Além disso, ele enfatizou que na fase de obras, o empreendimento está gerando de 400 a 500 empregos, e após sua inauguração, estima-se a geração de 3,5 mil empregos diretos, incluindo o centro de compras, serviços e a administração do shopping.

“Várzea Grande merece e há tempos a população esperava por um empreendimento grandioso como esse. A cidade tem um potencial muito grande e vive um aumento da renda per capita local. E certamente, agora com o shopping, a cidade terá uma alavancagem em seu desenvolvimento”, disse o executivo.

O grupo de empreendedores do “Várzea Grande Shopping” também apresentaram na coletiva as marcas que estão confirmadas para se instalar no primeiro shopping da cidade. As lojas das redes Renner, Riachuelo e Marisa terão lojas âncoras no empreendimento. O mix de âncoras do novo shopping também contará com as Lojas Americanas, Casas Bahia e Novo Mundo e novas unidades de redes que nasceram em Mato Grosso, como Avenida, City Lar, Gabriela, Studio Z e Giovanna.

De acordo com os empreendedores, negociações com outras grandes marcas estão em curso. O shopping de Várzea Grande também contará com um cinema, com seis salas. A rede Cineflex é quem irá operar as salas de cinema.

O empreendimento - O “Várzea Grande Shopping” movimentará investimentos de aproximadamente 200 milhões e trará uma inovação no Estado. Além de centro comercial funcionará um hotel com 216 apartamentos. A expectativa é receber 15 mil pessoas diariamente.

São mais de 90 mil metros quadrados, entre hotel e shopping, distribuídos em cinco pavimentos, sendo 88 mil metros quadrados de área construída.

Com as duas etapas conclusas, o Shopping deverá contar com 301 lojas, destas, seis serão âncoras, 256 satélites, 15 megalojas, seis cinemas e uma escola ou faculdade.  A praça de alimentação contará com 16 pontos. E ainda 22 lojas de serviços e 36 quiosques.  Além de estacionamento com 1450 vagas cobertas e um centro de convenções. Fonte: VG Notícias

O Editorial do Jornal A Gazeta e Várzea Grande

 

Leia a seguir o Editorial do Jornal A Gazeta edição de 07 de maio de 2013 e logo em seguida as colocações da Folha de Várzea Grande.

Após anos e anos de espera a população de Várzea Grande começa a ver virar realidade um grande empreendimento que pode dar um “up” na rotina da cidade irmã da Capital de Mato Grosso. Até uma campanha publicitária na televisão já começou a ser divulgada. É o Várzea Grande Shopping, ou complexo multiuso, como está sendo chamado. Até porque o projeto inclui não só o shopping, mas também um hotel e um centrode convenções.

Carente de tudo, Várzea Grande pode, a partir da concretização desse projeto, passar a desfrutar de um pouco mais de “independência”, pelo menos no que diz respeito ao comércio. A eterna “dependência” de Cuiabá impõe dificuldades ao comércio local, uma vez que boa parte da população local simplesmente sai de lá para ir até Cuiabá, praticamente ignorando os locais de compra daquela cidade.

Aliás, a vida da população de VG, que já não era fácil por conta dos diversos problemas enfrentados há anos, principalmente resultado de administrações públicas desastrosas, parece ficar ainda pior com as interdições das obras da Copa do Mundo 2014.

Todo mundo sabe, pelo menos todo mundo espera ardorosamente, que após concluídas, essas obras possam dar um impulso de progresso a Cuiabá e Várzea Grande, que em termos de mobilidade urbana estavam paradas no tempo. Mas não há como negar que transitar pelas duas cidades ficou extremamente difícil. Exige uma dose gigante de paciência e atenção redobrada, porque o número de acidentes é crescente, também por conta da concentração do fluxo nos poucos desvios disponíveis.

Quem precisa ir a Várzea Grande sabe exatamente o que isso significa. E quem precisa sair de lá também. Claro que não se trata de querer isolar os habitantes de Várzea Grande na cidade, sem que saiam para qualquer lugar. Mas o segundo maior município do Estado merece ser bem estruturado.

Com mais de 200 mil habitantes, Várzea Grande não tem shopping (ainda), não tem cinema e não tem uma prestação de serviços que satisfaça totalmente as necessidades da população. Isso sem falar em governo. Até o ano passado podia-se dizer que ele inexistia. Agora, com uma nova gestão no início, ainda não dá para avaliar se já houve mudanças de fato.(*)

Já passou da hora de Várzea Grande deixar de ser cidade dormitório. Para quem conhece a história de Mato Grosso, sabe que era isso que acontecia antigamente. As pessoas trabalhavam em Cuiabá e praticamente só iam a Várzea Grande para dormir, daí a pecha de “cidade dormitório”. Muitos podem dizer que isso é coisa do passado. Mas, aquela que também já foi conhecida como “cidade industrial” tem problemas estruturais e carências de serviços sim, sejam públicos ou privados, o que leva os várzea-grandenses ainda a estarem muito ligados aCuiabá.

O consolo é que, pelo menos no tocante à iniciativa privada, o cenário parece estar mudando em Várzea Grande. Isso fica claro diante dos grandes investimentos feitos recentemente na cidade. Agora, falta o poder público reagir e mostrar a que veio.  Fonte: A Gazeta


Empresas como a Loja Havan dão novo impulso ao comércio de Várzea Grande.

Opinião Comentada
Leio o Jornal A Gazeta desde a primeira edição, sua chegada foi um divisor de águas na imprensa da Grande Cuiabá e Mato Grosso, mais isto não dá direito a prática de distorção dos fatos, principalmente para a população de Várzea Grande - MT a 2º em número de habitantes com mais de 255 mil moradores.

Quanto ao editorial que publicamos acima, comentaremos o parágrafo grifado em vermelho, primeira para informar que a população de Várzea Grande é mais de 255.000 mil habitantes. 

Depois o editor afirma que inexistia governo na cidade o ano passado, quando o principal foco da opinião do jornal, o empreendimento do Várzea Grande Shopping só foi conseguido pela determinação do então prefeito Tião da Zaeli, que encaminhou para Câmara Municipal a Lei de Uso e Ocuapção do Solo que foi aprovada e sancionada, sem a qual a construção do Shopping era impossível. Foi na administração de Zaeli que o Grupo empreendedor recebou o alvará para construção.

Foi o governo que segundo editor não existia, que na pessoa do então prefeito Tião da Zaeli negociou e trouxe para cidade as Lojas Havan, uma das maiores de Mato Grosso no segmento. Além disso Tião formou uma equipe para elaborar projetos para obras para solução da distribuição de água, rede de esgoto e asfaltamento, entre outros, totalizando mais de R$ 500 milhões, dos quais o Ministério das Cidades já aprovou neste ano de 2013 mais de R$ 400 milhões, sendo que, mais 300 milhões serão investidos a fundo perdido. Claro que esses recursos serão liberados mediante a eficácia da gestão do atual prefeito.

É certo que Várzea Grande sofre de má administração há décadas, mais isso não da direito a ninguém e muitos menos ao jornal de maior circulação de Mato Grosso de publicar informações "de qualquer jeito" para atrapalhar ainda mais a nossa cidade. A Folha de Várzea Grande vai sempre colocar uma vírgula onde tentam colocar, indevidamente, um ponto final.

Programação de 146 anos do aniversário de Várzea Grande

O prefeito de Várzea Grande Walace Guimarães (PMDB) aproveita o aniversário de 146 anos do município, a será comemorado na próxima quarta (16), para anunciar o lançamentos de diversas obras. A primeira delas será inauguração da iluminação do mini-estádio “Afonso de Assunção”, no Distrito de Souza Lima, nesta terça (7), às 19h. Na quinta (9), haverá lançamento do Núcleo de Inclusão Digital, no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), às 16h.




  No mesmo dia, às 18h, acontece a abertura do “2º Seminário de Acessibilidade”, que acontecerá no Centro de Eventos da cidade, na Alzira Santana. Logo mais, às 20h, terá abertura da 1ª Feira de Negócios, Arte, Artesanato, Cultura e Gastronomia de Várzea Grande, na área de Lazer do bairro Ipase. A feira estará disponível à população até o dia 15.

  No sábado (11) será a vez do lançamento do Projeto Servidor Solidário, no centro comunitário do bairro Novo Mato Grosso, às 9h. Na segunda (13) um dos eventos mais aguardados da população. Trata-se da inauguração do PSF Rural, que atenderá as comunidades Limpo Grande, Sadia I e III e Formigueiro. Por fim, no mesmo dia, às 16h, o gestor dará ordem de serviço do Programa Rede Cegonha e do Projeto Aconchego, no pronto socorro municipal de VG.

  Já na terça (14) haverá mais uma inauguração. Desta vez, das novas dependências da secretaria de Infraestrutura, no Paço Municipal Couto Magalhães. No mesmo dia, às 20h, haverá ainda sessão Solene e entrega de Títulos de Cidadania, no Centro de Eventos do Hits Pantanal Hotel. Também haverá a tradicional Corrida Pedestre, que neste ano chega a sua IV edição. Será no domingo (19), em frente à prefeitura.

Servidores da Prefeitura de Várzea Grande perdem o direito a estabilidade


 Prefeitura de Várzea Grande



Fim da estabilidade no emprego em Várzea Grande -Mais de mil servidores da Prefeitura de Várzea Grande perdem o direito a estabilidade que adquiriram por força do artigo 19 da ADCT (Ato das Disposições Constitucionais Transitórias), entre eles, o ex-secretário municipal de Saúde, Arilson Arruda, Juarez Toledo Pizza (ex-secretário de Fazenda da gestão de Jaime Campos), Wilson Pires, Márcio Ferreira, Olindo Pazzinato, o ex-vereador Edil Moreira, o médico João Francisco Campos, e demais servidores que foram beneficiados pela ADCT.

A ação foi proposta pelo procurador-geral do Estado - e acatada pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ/MT), que deferiu à liminar e suspendeu a eficácia da Lei Complementar 3816/2012, de 06 de novembro de 2012, até o julgamento do mérito para que não haja mais prejuízo aos cofres públicos.

O relator do processo, desembargador Juracy Persiani, argumentou que “os beneficiados com o artigo 19 do ADCT gozam, apenas, do direito de permanência no serviço público, vinculados à função que exerciam quando estabilizados”.

De acordo com o especialista em direito público, Jefferson Fávaro, o benefício concedido foi à estabilidade na função pública exercida e não o direito ao acesso a algum cargo público, o que, nos termos do art. 37, II, da CF, depende de aprovação prévia em concurso público.

“O art. 19 do ADCT, ao conceder estabilidade no serviço público, dispôs que os servidores enquadrados nos termos de tal norma constitucional transitória permaneceriam exercendo as funções públicas que desempenhavam, e não com direito a outras funções promocionais”, explica Fávaro.

Quanto aos efeitos funcionais da estabilidade excepcional, verifica-se que o vínculo constituído entre o servidor estabilizado excepcionalmente e a respectiva Administração Pública somente pode ser aquele que mantinha antes da estabilização, qual seja, o regime jurídico regido pela legislação trabalhista, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Fonte: VGNoticias

Acivag realiza encontro para debater o desenvolvimento de Várzea Grande


 Várzea Grande


A Associação Empresarial e Comercial (Acivag), na busca pela retomada do crescimento empresarial de Várzea Grande, sob liderança de Adauton Tuim, marcou reunião com empresários para a próxima terça, 7 de maio, às 19h, no Hotel Hits Pantanal. O encontro contará com a presença do prefeito Walace Guimarães (PMDB), do secretário estadual de Indústria, Comércio, Minas e Energia, Alan Zanatta, e do secretário municipal de Desenvolvimento João Carlos Hauer.

   O foco da reunião será a análise do crescimento e desenvolvimento socioeconômico do município. O secretário Alan Zanatta, em outro momento, já havia adiantado que uma das ações da pasta é tentar levar mais empresas e indústrias para Várzea Grande, já que o Distrito Industrial de Cuiabá não comporta mais ampliações.

   A cidade passa por momento difícil e a situação crítica ficou mais evidente depois que perdeu o título de segunda maior economia do Estado para Rondonópolis, cinco anos mais nova que Várzea Grande. Seu PIB é 62,5% maior. Embora Várzea Grande tenha população e número de empresas superiores ao da cidade-pólo do Sul, ela já perdeu o posto tanto de “cidade industrial”, como de segunda maior força econômica. O PIB de 2009 de Rondonópolis, última divulgação oficial, é de R$ 4,8 bilhões, enquanto o de Várzea Grande é R$ 3 bilhões. (Com assessoria da Acivag).