Lucimar Campos defende atuação de Jaime e Júlio como prefeitos e governadores

Eleições 2012 em Várzea Grande MT - Líder nas pesquisas de intenções de voto para prefeito de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM) se disse muito feliz com o legado deixado na Cidade Industrial pelo grupo político do qual faz parte.

Para a candidata, as gestões dos democratas Jayme Campos, seu marido, e Júlio Campos à frente da prefeitura várzea-grandense foram exemplares. Lucimar atribui as precariedades encontradas no município às administrações dos prefeitos dos últimos oito anos – Murilo Domingos (PR), João Madureira (PSC) e Tião da Zaeli (PSD).

“O Jayme entregou a cidade muito bem, com asfalto, água, iluminação. Não faltavam medicamentos nos postos de saúde e no Pronto-Socorro, como acontece atualmente”, observou.

Lucimar afirmou que o reconhecimento que recebe nas ruas é resultado dos trabalhos realizados pelos Campos em prol do município. Ela ainda ressaltou que dois dos seus principais adversários na corrida eleitoral, o deputado estadual Wallace Guimarães (PMDB) e o prefeito Tião da Zaeli, que busca ser reeleito, tiveram oportunidade de mostrar trabalho e não o fizeram.

“Enquanto secretário municipal de Saúde, o deputado deixou que remédios fossem deteriorados. Já o atual prefeito deixa a cidade suja, a coleta de lixo não funciona”, disparou.

Interferência de Jayme

A candidata também pontuou que não está na disputa para ser uma “laranja” do marido. “Nem que quisesse, ele teria tempo para interferir na administração da cidade, pois os trabalhos em Brasília são bastante puxados”.

Sobra Os desvios de dinheiro feitos por Jaime Campos
Questionada se os processos de desvio de verba pública que Jayme responde na Justiça podem vir a complicar sua campanha, Lucimar esquivou-se. “Isso é problema dele. Qualquer coisa sobre isso [processos] você deve perguntar para ele”.

Dentre os processos contra Jayme, encontram-se a condenação do juiz da 5ª Vara Federal, João Pires da Cunha. Em 2010, o magistrado mandou o senador devolver R$ 14 milhões aos cofres públicos, por envolvimento no suposto esquema de superfaturamento do Hospital Central de Cuiabá, cujas obras estão paralisadas há anos, se constituindo num “gigantesco monumento à corrupção e ao desperdício do dinheiro público”, segundo nota do Ministério Público Federal.

Já em 2009, Jayme foi processado pelo desvio de R$ 1,5 milhão, no superfaturamento em obras realizadas pela Prefeitura de Várzea Grande durante a sua gestão. Segundo a ação movida pelo Ministério Público Federal de Mato Grosso, ele foi o responsável por autorizar o superfaturamento de R$ 1.595.343,12 nas obras de duplicação da passagem urbana de Várzea Grande, nas rodovias BR 070/163/364/MT.

Os candidatos Wallace e Tião foram procurados pela reportagem, mas não foram encontrados para comentar as declarações de Lucimar.   Fonte: Mídia News

Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário