Tião da Zaeli vai por fim ao monopólio do transporte coletivo de VG‏


Eleições 2012 em Várzea Grande - Transporte coletivo - O candidato a prefeito Tião da Zaeli (PSD) vai por fim ao monopólio no transporte coletivo de Várzea Grande. O anúncio foi feito ontem à noite pela candidata a vice prefeita professora Nicinha (PSB), ao se reunir com moradores de vários bairros da periferia e constatar a carência do município nesta área.


“Infelizmente, a população da periferia é a que mais sofre com esta deficiência, uma vez que depende de ônibus para se locomover da casa para o trabalho ou mesmo para fazer compras e resolver outros negócios”, disse ela.


Nicinha revelou que em março de 2013 vence o prazo da concessão para a exploração do serviço no município, atualmente a cargo da União Transportes, cujos proprietários são ligados a uma família tradicional da cidade que hoje tenta retornar ao poder.



“Mas estão enganados. Tião da Zaeli não vai permitir que isso aconteça com a população. Vamos abrir para que outras empresas venham prestar o serviço, gerando concorrência entre elas e melhoria na qualidade do atendimento à população. Os usuários do transporte coletivo não podem mais continuar nas garras de uma empresa que detém este monopólio e presta um serviço de péssima qualidade”, criticou.



Joana Aparecida da Silva, 36, moradora do Figueirinha, diz que além da demora nos intervalos entre um ônibus e outro, os carros estão em situação precária e não oferecem qualquer conforto aos usuários. “O prefeito Tião da Zaeli tem mais é que acabar mesmo com este monopólio que só interessa e está enriquecendo apenas uma família em Várzea Grande”, afirmou a moradora. Fonte: Da Assessoria

Em comício no Cristo Rei Tião e Nicinha diz que Família Campos quer culpá-los por 40 anos de má gestão


Eleições 2012 em Várzea Grande MT - O candidato à reeleição, prefeito de Várzea Grande Tião da Zaeli (PSD), e sua companheira de chapa, Eunice Teodora dos Santos, a professora Nicinha (PSB), aumentaram o tom de críticas contra a família Campos, representada pelos irmãos Júlio Campos, deputado federal, e Jayme Campos, senador, ambos do DEM.

O senador é marido da candidata concorrente do pleito de Tião e Nicinha, a ex-primeira-dama do Estado e da cidade, Lucimar Campos (DEM). Ambos irmãos foram governadores por Mato Grosso e prefeitos da cidade.

Os ataques duros foram feitos durante comício neste sábado à noite com a visita do prefeito de São Paulo e presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, que esteve em Mato Grosso para prestigiar cinco candidatos da sigla a prefeito. O próprio prefeito paulistano endossou a crítica dos seus aliados. "Aqui existe uma família que manda na política há 40 anos", observou no ato em Várzea Grande.

"Aqui em Várzea Grande, quem fala a verdade corre risco de vida. Mas não temos medo porque temos o povo do nosso lado. E vamos falar a verdade para que o povo possa ter o discernimento de escolher", engrossou a voz a pequena vice Nicinha, mas que tem dado o tom político em alto e bom som da indignação no palanque nos comícios de Tião da Zaeli.

"Sou agente prisional, já vi muitos que vão lá na cadeia e se identificam com placa com nome. Já vi acusados por roubo, furto. Se alguém rouba uma bicicleta, uma galinha ou outro produto vai preso, mas nunca vi apropriação indébita", revelou aos simpatizantes no comício.

Ela lembrava de fato recente em que Júlio é acusado de se apropriar de 60 mil hectares de terra, segundo a Advocacia Geral da União (AGU) quando governador entre 1983 e 1986, e Jayme é denunciado pelo Ministério Público Federal de ter que devolver R$ 866 mil por gasto irregular de obras de asfaltamento quando prefeito da cidade.

Prefeito
O prefeito Tião da Zaeli voltou a lembrar dos últimos 40 do poder da família Campos na prefeitura, com os irmãos ou aliados.

“São 40 anos de atraso em Várzea Grande. E agora querem culpar Tião da Zaeli pelo que fizeram com o município ao longo destas últimas décadas”, aponta sobre falta de política social de Júlio e Jayme. "Querem colocar o peso de 40 anos que não fizeram nada pela cidade nas minhas costas, mas não vão colocar não. Ficam culpando que a cidade não tem maternidade. Não vão colocar esse peso", rebate.

"Tem muito poço artesiano furado na cidade porque nunca a cidade teve saneamento, uma cidade na beira do rio. Várzea Grande nunca teve o rio Cuiabá", ironizou Tião sobre políticas ambientais e de tratamento de água

A professora Nicinha também mirou sua palavra de ordem para acordar a população até contra o ex-governador e senador licenciado Blairo Maggi (PR), que é aliado do deputado estadual Walace Guimarães (PMDB), outro adversário dela e Tião.

"Um governador que esteve 8 anos no poder e agora está do lado de lá e não trouxe investimetno e obra para Várzea Grande. Agora vem no horário eleitoral pedir voto para outro candidato. O povo de Várzea Grande não precisa de ninguém ensinar ele a votar. Ele vai votar com pessoas do povo, simples, como eu e o Tião"", cobrou.

Kassab
Durante o comício, o prefeito agradeceu o trabalho de apoio que o prefeito Gilberto Kassab tem dado à sua administração. Kassab emendou o discurso de Tião da Zaeli.

"“É inadmissível que uma cidade como Várzea Grande ainda não tenha um shopping, uma rodoviária e um sistema de tratamento de água. Com Zaeli tenhoi convicção de que essa realidade será mudada”, cutucou.

O prefeito Tião da Zaeli anunciou que haverá a assinatura de um termo de cooperação técnica para auxiliar no intercâmbio de administração entre ambas cidades e gestão pública.

Já Kassab afirmou que fará um pacto com Zaeli para construir uma ponte do desenvolvimento, via Brasília e São Paulo, para que o prefeito possa fazer uma "administração progressista, com mais indústrias, desenvolvimento econômico e social e mais emprego para a população”.  Fonte: Olhar Direto

Jaime Campos é acionado pelo MPF a devolver R$ 866 mil e Júlio por "pegar" 59 mil hectares quando foi governador

O Jornal Folha do Estado, edição 5889 de 24/08/2012, noticia processos que o Ministério Público da União aciona os líderes da política tradicional de Várzea Grande, Júlio e Jaime Campos.

Os irmãos Jayme e Júlio Campos, ambos do DEM, estão respondendo na Justiça por atos cometidos durante suas respectivas passagens pela prefeitura de Várzea Grande e governo de Mato Grosso. O Ministério Público Federal (MPF) acionou o senador Jayme Campos na Justiça Federal pleiteando a devolução de R$ 866 mil gastos com asfalto, supostamente de má qualidade, quando ele Prefeito de Várzea Grande. Seu irmão mais velho, o deputado federal Júlio Campos é alvo de ação da Advocacia-Geral da União (AGU) que busca anular os títulos de propriedade de três fazendas que teriam sido “pegos” de forma irregular quando o parlamentar governou o Estado, entre 1983 e 1986.

Além de Jayme Campos – marido da candidata a prefeita de Várzea Grande Lucimar Sacre Campos (DEM) –, os exsecretários de Finanças e Obras, respectivamente, Juarez Toledo Pizza e Luis Celso Morais de Oliveira, também foram acionados pelo MPF. Segundo a ação, que foi acatada na última semana, após dois recursos em Brasília, os gestores lesaram o patrimônio público em R$ 866 mil.

As investigações do MPF apontam que as irregularidades ocorreram tanto no processo licitatório, quanto na execução das obras. A ação é assinada pela pela procuradora da República, Vanessa Cristhina Marconi Zago Ribeiro Scarmagnani, que baseou seus argumentos num relatório técnico da Controladoria Geral da União.


PROPRIEDADES
As áreas rurais, que Júlio Campos supostamente “pegou” estão localizadas no Parque Nacional do Juruena – unidade de preservação ambiental localizada na divisa entre Mato Grosso e Amazonas – teriam sido adquiridas através de fraude quando ocupou o cargo de governador.


“LARANJAS”
A AGU aponta, em ação datada de fevereiro deste ano, que durante o governo Júlio Campos, Mato Grosso repassou 59 mil hectares para três “laranjas”. Na sequência, as terras foram transferidas para a empresa Mineração Santa Sílvia Ltda, que tem o ex-governador como sócio-proprietário.

Conforme a AGU, a concessão das áreas públicas não levou não respeitou a Constituição Federal. A lei que vigorava na época determinava que qualquer transferência de imóveis superior a três mil hectares só poderia acontecer mediante autorização do Senado, procedimento que não foi utilizado na época. O deputado Júlio Campos, por sua vez, busca na Justiça ser indenizado pelo Governo Federal pela desapropriação de áreas pertencentes a empresas que ele é sócio. Entretanto, a AGU afirma que a cobrança não tem fundamento legal. Fonte: Folha do Estado


OUTRO LADO
Advogado afirma que CGU é um braço do PT

Os advogados que patrocinam as defesas de Jayme e Júlio Campos se manifestaram sobre os processos.
O advogado e candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada por Guilherme Maluf (PSDB), João Celestino,
é responsável pela defesa de Jayme Campos. Em sua opinião, a ação judicial é “politiqueira” já que as obras passaram pelo crivo do Ministério da Integração Nacional e do Tribunal de Contas da União (TCU). “Isso é coisa da Controladoria- Geral da União, que é um braço do PT. Infelizmente, o Ministério Público Federal entrou na dança e vai pagar o preço. É só uma ação e nos temos a certeza da vitória”, declarou.

O advogado Paulo Fabrinny, que defende o deputado Júlio Campos na ação, classificou a ação da Advocacia-Geral da União como “vã retaliação” contra o parlamentar que cobra na Justiça do Governo Federal indenização pela desapropriação da área, ainda no ano 2000. De acordo com Fabrinny, a União tenta retaliar Júlio Campos para fugir da responsabilidade de indenizá- lo. Para isso, conforme o advogado, sustenta que a transferência das terras foi regular. “A transferência foi legítima e a posterior aquisição pelo também. Como governador, Júlio Campos apenas assinou a transferência avalizada pela Intermat e autorizada pela Assembleia Legislativa. Não havia impedimento nenhum para que anos depois, ele adquirisse
os lotes”, garante o advogado.   Fonte: Folha do Estado

Juíza eleitoral barra divulgação de pesquisa suspeita do Ibope na Globo


Ibope nas eleições 2012 - Segundo a coluna do jornalista Cláudio Humberto, a Justiça Eleitoral do Acre proibiu a divulgação da pesquisa do Ibope, pela afiliada da Rede Globo, com os números dos candidatos à prefeitura de Rio Branco, que seria feita na sexta-feira (17). A juíza Maha Kouzi Manasfi acatou a ação do PSDB, que questionou a metodologia utilizada pelo instituto. Ela destacou, na decisão, que "não é incomum se deparar com atuação que se revista em potencial manipulação da realidade constatada (...) No Brasil, com certa dose de criatividade e engenhosidade, quase tudo pode ser 'mascarado' ou, ainda, atenuado conforme a conveniência do verdadeiro interessado."

A propósito, há a expectativa de que a TV Centro América divulgue, nesta semana, a primeira rodada do Ibope com os números das intenções de voto dos candidatos ao Palácio Alencastro. Fonte: Mídia News

Pesquisa em VG: Tião Zaeli sobe e já está em empate técnico com Lucimar Campos


Eleições 2012 em Várzea Grande. Mesmo sem começar oficialmente a sua campanha eleitoral, na mídia, o prefeito e candidato à reeleição por Várzea Grande, Tião da Zaeli (PSD), sobe nas intenções de voto no município, na modalidade de pesquisa estimulada. O resultado obtido pela Politeia Dados aponta praticamente um empate técnico com a candidata Lucimar (DEM), rumo ao pleito, levando em conta os 3% da margem de erro, que pode ser para mais ou para menos do resultado final. Do total de eleitores entrevistados, 25,50% votariam em Zaeli, caso as eleições fossem hoje e 30,60% votariam na sua principal adversária.


O  crescimento é considerado significativo pelo candidato. A Politeia Dados ouviu uma amostragem de (1.000) mil entrevistados, no período de sete a nove de agosto, em 31 bairros da cidade industrial.
A pesquisa foi registrada em 12 de agosto de 2012, no Sistema de Registros de Pesquisas Eleitorais do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob o protocolo de número 00114/2012.

A equipe entrevistou eleitores dos bairros: Capão Grande, Cohab Alberto Canelas, Centro do Cristo Rei, Cohab Cristo Rei, Construmat, Costa Verde, Jardim Glória, Glória II, Gonçalo Botelho, Jardim Imperador, Ipanema, Ipase, Jardim Imperial, Jardim Ipê, Jardim Primavera, Manga, Mappin, Marajoara, Novo Horizonte, Ouro Verde, Parque Del Rey, Parque da Amazônia, Parque do Lago, Santa Clara, São Matheus, Unipark, Vila Operária, 7 de maio, 13 de setembro, 15 de maio e 24 de dezembro.

Embora o prefeito seja candidato à reeleição, as suas propostas têm sido elaboradas visando o “novo” para o município, uma vez que entre as maiores carências da cidade está o segmento ‘Saúde’, que devido ao caos dos últimos meses, chegou a ser notícia nacional.

É justamente nesta tecla que Zaeli mais ressalta a necessidade de reestruturação da pasta, com o intuito de mudar o quadro atual que mais aflige a população e que na sua opinião, muito pode ser feito para a melhoria do setor.

Cláudio Cordeiro, responsável pelo marketing da campanha, ressalta que tal crescimento deve-se a divulgação dos trabalhos executados pelo prefeito Tião da Zaeli em menos de um ano, os quais a população várzeagrandense não tinha conhecimento. “Essa vantagem deve crescer a cada dia em virtude da viabilização e aceitação das propostas do candidato”, finaliza Cordeiro.

Em seus discursos, Zaeli ressalta a necessidade urgente de implantação da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), local com atendimento de urgência e emergência, 24 horas. A unidade, uma espécie de Policlínica avançada que dará suporte aos primeiros atendimentos e transferência para o Pronto Socorro Municipal, caso haja necessidade, após a realização do diagnóstico.  Fonte: Folha do Estado