Jornalista Onofre Ribeiro faz uma síntese do que é Várzea Grande no Programa Cidade Independente


O ex-secretário adjunto da Secretaria de Estado de Comunicação (SECOM/MT), jornalista e articulista político Onofre Ribeiro, em entrevista ao programa Cidade Independente desta sexta-feira (13.04), apresentado pelo comunicador Igor Taques, disse que Várzea Grande é uma verdadeira “favela”.

De acordo com o jornalista, a sina da Cidade Industrial é continuar pelos próximos dez anos sendo um “favelão” de Cuiabá.

“Durante estes próximos dez anos Várzea Grande continuará um favelão. Várzea Grande está na garupa de Cuiabá, aprendeu a depender de Cuiabá e não tem vida própria, quando alguém se elege em Várzea Grande não olha para o futuro, não busca melhorias, tudo que precisa recorre em Cuiabá”, destacou o articulista político.

Onofre destacou ainda que apesar de Várzea Grande levar o nome de “Cidade Industrial” se quer tem uma Associação Industrial, e que se restringe a ter apenas uma “Associação Comercial, fora isso, não tem nenhum movimento comercial”. Conforme ele, a população do segundo maior município do Estado depende da Capital para ter seus momentos de lazer.

“Várzea Grande não tem um cinema, não tem um shopping, não tem um teatro, não tem estádio, e muito menos uma rodoviária. A única universidade que possui está colada na ponte que dá acesso a Cuiabá. Esta universidade, a Univag, está olhando para Cuiabá e não para Várzea Grande”, criticou.

O jornalista apontou que nenhum gestor que passou pelo comando de Várzea Grande se posicionou para o crescimento da cidade e que a única coisa que faz Várzea Grande ser “útil” é o aeroporto. “Esse pessoal, antes de se eleger conta para a sociedade uma coisa, mas faz outra, totalmente diferente quando estão no poder”, ressalta, e complementa que a população de Várzea Grande não está habituada a pensar, “há muito tempo que a sociedade de Várzea Grande não pensa, não discute, não fala para si, é uma sociedade morta. Várzea Grande é um caos e funciona como se não tivesse um dono” disse.

O ex-secretário citou ainda que outros municípios do interior do Estado se posicionam para o crescimento, como exemplo citou Jangada, porém, que o mesmo não é feito em Várzea Grande. “Ou a sociedade várzea-grandense começa a pensar nela ou vai funcionar para sempre como se fosse uma aldeia. Jangada está olhando para o futuro, Várzea Grande não, ou a sociedade se mexe, ou Várzea Grande vai continuar este favelão colado na Capital”, finalizou.  Fonte: VG Notícias

Siga Folha de Várzea Grande no Twitter: www.twitter.com/bomdiamt

Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário