6ª Festa da Rota do Peixe em São Gonçalo Beira Rio e o aniversário de 293 anos de Cuiabá









Os primórdios da história de Cuiabá estão intimamente ligados com a localidade de São Gonçalo Beira Rio. É por isso que a comunidade abriga neste fim de semana uma série de atividades que abrem as comemorações pelos 293 anos da Capital - comemorados no dia 8 de abril. Elas fazem parte da 6ª Festa da Rota do Peixe, que prevê exposições, feira de artesanato, apresentações culturais e, como não poderia faltar, muitos pratos típicos à base de peixe.

Realizada pela Associação dos Moradores da Comunidade São Gonçalo Beira Rio, a 6ª Festa Rota do Peixe começa hoje, às 18h, com a abertura oficial. Logo após haverá apresentação banda da Polícia Militar, queima de fogos, apresentações culturais e a abertura da exposição Raízes Culturais de São Gonçalo, que poderá ser vista até domingo, sempre das 9h às 17h.


Aniversário de Cuiabá 293 anos - De acordo com o presidente da Associação de Moradores da Comunidade São Gonçalo Beira Rio, Dalmi Lúcio de Almeida, a mostra é baseada numa das atividades mais conhecidas da região, o artesanato feito com cerâmica. Atradição local também estará espalhada pelos bares e restaurantes, salienta Dalmi.

O presidente informa que a maior parte da programação ocorrerá na quadra da associação, com danças típicas apresentadas pelos grupos Flor do Campo e Flor Ribeirinha. Os bailes populares contarão com a participação de bandas bem conhecidas no estado, como Os Amigos (e convidados), Scort Som e Swing Legal, entre outras.

Por conta do crescimento da festa, Dalmi estima que este ano passem por ali mais do que as 50 mil pessoas verificadas no ano passado. Para que não haja confusão no trânsito, explica, foi montado um esquema especial para que a rua Antônio Dorileo funcione com uma mão apenas. Além disso, destaca ele, este ano não será permitido estacionar naquela via, somente nos estacionamentos que foram viabilizados especialmente para o evento.

Ainda sobre a programação, Dalmi acrescenta que está prevista para este sábado (31) a 1ª Caminhada Ecológica de São Gonçalo. No domingo, às 10h tem Campeonato de Melhor Pacu Assado, seguido do Torneio Quem Come Mais Mujica de Pintado. Às 14h começa a domingueira dançante e às 21h será feito o encerramento da festa. As peixadas serão servidas a partir do meio-dia, tanto nos restaurantes (são 20 ao todo) como na associação. Aexpectativa é de que sejam consumidas 2 toneladas de peixe.

A 6ª Festa Rota do Peixe da Comunidade São Gonçalo Beira Rio é organizada pela associação de moradores e recebe o apoio da Prefeitura Municipal da Capital por meio de diversas secretarias.

Quintal da Domingas - Dona Domingas Leonor da Silva, uma das figuras mais conhecidas da comunidade, também programou uma série de atrações para os visitantes em seu quintal. O local terá apresentações do grupo de danças típicas Flor Ribeirinha - com Siriri e outras danças, como a Paraguaia - e de convidados como Matheuzinho do Teclado, João Eloy, Roberto Lucialdo, Bolinha, Nádia Neves, Edilson de Oliveira, Ju Baiana e Joãozinho do Cavaco, entre outros.

Ela também anuncia uma exposição especial sobre a história do Flor Ribeirinha, com fotos, roupas e objetos. Segundo Domingas, são 18 anos de trajetória de um dos primeiros grupos a reunir jovens em torno de manifestações culturais típicas da região. Aprogramação prevê inclusive oficinas de cerâmica para estudantes - hoje será a vez dos alunos da escola Estevão Correa, informa.

História - Datada do século 18, a comunidade São Gonçalo Beira Rio está entre os arraiais pioneiros da Capital. Em 1719, de passagem pela região, a bandeira de Pascoal Moreira Cabral, que estava à procura de índios para trabalho, acabou encontrando ouro no rio Coxipó. Fundou-se, então, o Arraial da Forquilha, no atual distrito de Coxipó do Ouro. Para assegurar o direito de posse da área, decidiu-se lavrar uma ata de fundação, no dia 8 de abril daquele ano, na localidade denominada São Gonçalo Velho, hoje conhecida como São Gonçalo Beira Rio. Mais tarde, foi erguida na comunidade uma capela dedicada a São Gonçalo.

Fonte: Vida/A Gazeta