Tião da Zaeli questiona reforma administrativa proposta por Murilo em Várzea Grande

Várzea Grande, segunda maior cidade do Estado de Mato Grosso, porém vive tempos de dificuldades de toda ordem, por falta de planejamento e investimento em obras básicas, como água tratada, rede de esgoto e tratamento, asfalto de boa qualidade. regularização fundiária, construção de aterro sanitário, um bom distrito industrial, dotado de toda infra-estrutura, além de áreas planejadas para prática de esportes e lazer, quadra de esportes cobertas nas escolas municipais e uma rede bem estruturada do programa de saúde da família. 

 Várzea Grande, centro da cidade

O vice-prefeito de Várzea Grande Tião da Zaeli (PR) não conforma com esse quadro e voltou a criticar nesta quarta (8) a gestão Murilo Domingos (PR). Segundo ele, a reforma administrativa tão solicitada para enxugar a folha não ocorreu. Murilo teria invertido as coisas e estrangulado ainda mais a administração. Não é de hoje que Tião demonstra seu descontentamento com Murilo e faz dura oposição. Tanto que já está tudo certo para a filiação do empresário no PSD, a ser criado nos próximos dias. Tião, inclusive, deve disputar à prefeitura da segunda maior cidade do Estado.

A relação dele com Murilo azedou depois no período que antecedeu às eleições do ano passado. Tião alega que o prefeito não cumpriu o acordo, firmado no pleito de 2008, de deixar o comando do Executivo em 2010 para concorrer à Câmara Federal. Murilo, por sua vez, nega ter dado garantias de que sairia do cargo. Diante disso, Tião trava uma queda-de-braço com o prefeito e, após meses de indefinição, resolveu "abandonar" o PR.

Agora se articula para disputar o pleito no próximo ano. Ele ressalta que Vázea Grande viveu por 50 anos um período sem “voz” e, por isso, é carente de lideranças. "A população hoje está mais disposta a quebrar o silêncio. Muitos têm vontade, mas não tem coragem" , pondera. Para ele, o motivo disso é o histórico político da cidade, em que empresários temem denúncias infundadas, calúnias e difamações.

Sobre seu cargo de vice-prefeito, Tião alega não ter como afirmar que está à disposição devido ao que chama de falta de gerenciamento por parte do titular. "Lá não tem conversa, o Murilo nunca chamou uma reunião de trabalho em todos esses anos. Nunca consegui conversar com ele. Ele não tem atitude é omisso, ausente, apático", dispara.

Tião diz não participar mais das ações da prefeitura. Ele garante que doa o salário mensalmente a instituições de caridade, mas não pensa em pedir exoneração pelo fato de ocupar o cargo por escolha dos moradores. Também avalia que fica mais fácil cobrar e fiscalizar as ações da prefeitura se continuar na cadeira de vice.

Com a participação do  RDNews

Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário