Varzea Grande: Jaime Campos torra dinheiro do Senado

De olho nas urnas,

Jayme torra verba

do Senado





Senadores que possuem parentes próximos como candidatos nas eleições municipais lideram gastos com transporte e estadias. É o que revela o projeto Excelências, Transparência Brasil - saiba mais aqui. As despesas são pagas pelos parlamentares, que são posteriormente reembolsados com dinheiro da União. É a chamada verba indenizatória, a que cada parlamentar tem direito, supostamente para apoiar a sua atividade no Legislativo.


Os gastos com transportes e estadias são apenas uma das categorias que se enquadram no ressarcimento dos parlamentares com verbas indenizatórias. Enquanto em média os demais senadores têm gastos de R$ 39 mil em transporte e estadias, Romeu Tuma (PTB-SP), Mão Santa (PMDB-PI) e o mato-grossense Jayme Campos (DEM) apresentam despesa média de R$ 101 mil.


Os três senadores têm familiares próximos envolvidos no pleito deste ano. Romeu Tuma que gastou R$ 105 mil, tem o filho Robson Tuma como candidato a vereador por São Paulo. Mão Santa (PMDB-PI) apresenta despesas declaradas de R$ 104,7 mil e tem a mulher Adalgisa de Moraes Sousa na disputa à Prefeitura de Parnaíba, no Piauí.


Jayme aposta todas as fichas na eleição do irmão Júlio Campos em Várzea Grande. Ele apresentou despesas com aluguel de R$ 2,2 mil, mais R$ 7 mil com consultorias e divulgação na categoria diversos e R$ 94,9 mil com transportes e estadias, totalizando R$ 112,2 mil.

Os 75 dos 81 senadores que se utilizam da verba indenizatória para ressarcir despesas com viagens já embolsaram nesse item R$ 3,1 milhões desde fevereiro. No total, os 77 que se utilizam da verba indenizatória gastaram desde fevereiro R$ 6,6 milhões. Além de viagens, os parlamentares também são indenizados por gastos com aluguel e consultoria e uma série de outros privilégios e regalias. (Andressa Boa Sorte com Assessoria)


Fonte: RDNews

Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário