Candidados a vereador em Várzea Grande precisa mais 9 mil votos para eleger.

VG pede 9 mil votos para eleger


Segundo publicou no caderno de política de hoje, o Ornal A Gazeta, para Várzea Grande, o segundo maior município de Mato Grosso, que perdeu a posição apenas de segundo econômico para Rondonópolis, o quociente eleitoral para uma das 13 vagas da Câmara será de 9.444 votos, segundo estudo elaborado pela reportagem de A Gazeta. Os cálculos vieram de levantamentos técnicos dos resultados das últimas eleições e apontou para uma projeção de eleitorado da ordem de 160,5 mil votos, ao apresentar uma abstenção que em média atinge a 20% ou 32,1 mil votos, o que nos remete a um comparecimento da ordem de 128,400 mil votos.

Por não ser Capital e não ter mais de 200 mil eleitores, Várzea Grande ainda não se enquadra na legislação que trata do segundo turno das eleições, portanto, a decisão será única e será disputada por quatro candidatos.

As projeções eleitorais de votos brancos e nulos para este ano de 2008 atinge a 5.628 votos o que confirma uma projeção de votos válidos de 122,772 mil votos. Aqui é preciso se lembrar que a Justiça Eleitoral confirma como resultado os votos válidos e não o total de votos possíveis nem o comparecimento já que as abstenções não configura comparecimento, mas os votos nulos e brancos sim.

Pegando os votos válidos e dividindo-os pelo número de vagas na Câmara Municipal, 13 no total, chega-se a quociente eleitoral de 9.444 votos, que por se tratar de uma projeção pode se alterar tanto para cima como para baixo.Mas o dado tem base científica por levar em consideração resultados anteriores das eleições municipais que fazem parte do banco de dados da Justiça Eleitoral e pode ser consultado nos sites: www.tse.gov.br ou

Neste target=_blank>www.tre-mt.gov.br.

Neste planejamento técnico foi utilizado o percentual de 20% de abstenção, apontando que em Várzea Grande ele sempre foi maior que em Cuiabá. Já o percentual de votos em branco e votos nulo foi estimado em 4,38%, também acima dos previstos para Cuiabá e que se baseiam em resultados de eleições anteriores.

As eleições no segundo maior colégio eleitoral tendem a ser bastante disputadas por ter o prefeito Murilo Domingos (PR)contra o seu atual vice, Nico Baracat (PMDB) e o ex-governador, Júlio Campos (DEM). Um quarto candidato que se lançou na disputa, mas acabou cooptado por Nico Baracat foi Edson Ribeiro (PCdoB), partido que teve sua direção destituída e que acabou migrando para a coligação com o PMDB e PT, que caminham juntos nesta eleição tanto em Cuiabá como em Várzea Grande.

A sucessão em Várzea Grande está ligada à sucessão estadual de 2010, por ser Júlio Campos (DEM) candidato a prefeito e irmão do senador Jaime Campos.


Autor:

Marcos Lemos

Da Redação de A Gazeta

Gostou? Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário